0
0 ITEMS IN SHOPPING BAG
0
0 ITEMS IN SHOPPING BAG

Tereza Cristina volta dos EUA sem definição sobre reabertura à carne bovina

Questionada se os norte-americanos sinalizaram em quanto tempo o anúncio pode levar, ela disse que pode ser ‘este mês, no mês que vem ou no ano que vem’

Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, durante solenidade de abertura do 1º Congresso Brasileiro de Gestores da Agropecuária

A reabertura do mercado dos Estados Unidos à carne bovina do Brasil foi tema da reunião da ministra com o secretário de Agricultura dos EUA, Sonny Perdue – Foto: Antonio Araujo/Ministério da Agricultura

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, deixou Washington, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira, 20, sem uma definição por parte dos norte-americanos sobre a reabertura do mercado americano para a carne bovina in natura do Brasil. O pleito foi tema da reunião da ministra com o secretário de Agricultura dos EUA, Sonny Perdue.

Ao deixar o encontro, a ministra afirmou que os americanos dirão “em breve” se as informações prestadas pelo governo brasileiro são suficientes para retomar as importações do produto ou se os EUA enviarão uma nova missão ao país para avaliar as condições sanitárias.

Os americanos, segundo ela, não se comprometeram com prazos. Questionada se os americanos deram sinalização de quanto tempo essa análise pode levar, ela afirmou que “pode ser este mês, no mês que vem ou no ano que vem”.

De Washington, a ministra viajou a Nova York, onde terá encontros com investidores estrangeiros antes de voltar ao Brasil. A ministra minimizou a importância da discussão sobre a carne bovina e a relevância da abertura do mercado americano. Segundo ela, esse foi “o último assunto” tratado na reunião com Perdue e o mercado está aquecido com exportações para a China.

Entenda

Em 2017, os Estados Unidos suspenderam as compras de cortes bovinos do Brasil devido às reações (abcessos) provocadas no rebanho, gerados pela vacina contra a febre aftosa. Essas reações desencadearam o processo de redução da dose da vacina de 5 ml para 2 ml e a retirada da saponina da composição do produto.

Em junho deste ano, uma missão veterinária dos EUA esteve no Brasil para inspecionar frigoríficos de bovinos e suínos. A decisão norte-americana, comunicada ao Ministério da Agricultura do Brasil na quinta-feira passada, é fruto desta inspeção.

Fonte: https://canalrural.uol.com.br/noticias/pecuaria/boi/eua-nao-definem-reabertura-carne-bovina/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat